ENGLISH VERSION
Doclisboa’13: Filhos brincam enquanto pais vão ao cinema
2013/10/15

A 11ª edição do Doclisboa - Festival Internacional de Cinema, que decorre entre 24 de Outubro e 3 de Novembro, conta com um novo espaço pensado para as crianças, mas também para os pais que podem agora ir ao festival e participar dele com tranquilidade.

O Espaço Infantil, localizado na Culturgest, é uma das novidades do Doclisboa'13, criado a pensar nos pais que têm dificuldades em conciliar a sua presença no festival com a sua vida familiar.

 

Desta forma, o espaço foi pensado para crianças dos 3 aos 10 anos, que poderão desenvolver actividades pedagógicas e brincar em segurança, enquanto os pais assistem às sessões do festival. Por outro lado, a organização do Doclisboa entende fazer parte da responsabilidade social e política de um projecto como o seu, criar meios para poder proporcionar acesso ao maior número de pessoas, de modo inclusivo.

 

Este projecto é uma parceria estabelecida entre o Doclisboa e a creche Jardim da Fantasia, que conta com a colaboração de pessoas devidamente formadas e certificadas.

 

O Espaço Infantil funcionará de 25 de Outubro a 3 de Novembro, das 16h00 às 21h30 (dias úteis) e das 15h00 às 21h30 (fins de semana). O preço por criança e por sessão é de 1,50 €.

 

Doclisboa’13: Apresentação oficial da Programação
2013/10/10

Foi hoje apresentada a programação da 11ª edição do Doclisboa – Festival Internacional de Cinema, que regressa a Lisboa entre 24 de Outubro e 3 de Novembro. O festival continuará a estar presente em toda a cidade, da Culturgest ao Cinema City Alvalade, do Cinema São Jorge à Cinemateca, do Museu da Electricidade ao Carpe Diem – Arte e Pesquisa e ao Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada.

 

A edição deste ano do Doclisboa exibe 244 filmes de 40 países, somando um total de 123 longas e 121 curtas-metragens. A programação conta ainda com 46 filmes portugueses, 42 primeiras obras, 36 estreias mundiais, 5 internacionais e 1 europeia.

Cinta Pelejà, Cíntia Gil e Susana de Sousa Dias, que assumiram em 2012 a direcção do Festival, fizeram-se acompanhar por Augusto M. Seabra, na apresentação de um programa que se desenha a partir de três eixos fundamentais: a relação entre a vida íntima e pessoal e a vida comum dos povos; o arquivo enquanto signo expressivo do passado, matéria de questionamento que nos permite ler o presente e fabricar possibilidades futuras; o diálogo entre diferentes gerações de cineastas e entre as suas propostas de olhar e agir sobre o mundo, que tentam pensar politicamente o presente.

Um quarto eixo, sempre presente no Doclisboa, é o cinema Português: programando 46 filmes nacionais nas suas diversas secções, esta edição assume novamente uma implicação directa com a situação política e financeira do cinema em Portugal. A direcção do festival afirmou que “esta edição será de resistência, porque fazer cinema é e será sempre resistir.”

Este ano, o festival ficará marcado pela ausência do realizador iraniano e autor do filme de encerramento do festival (Manuscripts don’t Burn), Mohammad Rasoulof que foi recentemente impedido de sair do Irão. Nestas circunstâncias, a direcção do Doclisboa decidiu deixar o seu lugar como Presidente do Júri da Competição Internacional vazio, para o qual havia sido convidado, num acto de denúncia e apoio para com o cineasta iraniano.

O Doclisboa volta a apostar num júri de renome para a Competição Portuguesa, este ano composto por Michael Renov, autor de obras fundamentais sobre cinema e documentário, curador de programas de documentário e júri em vários festivais, pela realizadora portuguesa Teresa Villaverde e Birgit Kohler, co-editora do Arsenal – Instituto do Cinema e Videoarte, em Berlim.

A par das sessões, o Doclisboa’13 propõe ainda a secção Passagens dedicada ao tema Arquivo. Serão apresentadas instalações de Hartmut Bitmosky, Elizabeth Price (Prémio Turner 2012) e Camille Henrot, no Carpe Diem Arte e Pesquisa e os 14 episódios de Berlin Alexanderplatz, de Rainer W. Fassbinder, no Museu da Electricidade. Integrado na secção, será realizado o Colóquio Internacional Passagens, em parceria com Paris 1 – Panthéon-Sorbonne.

Doclisboa'13: Mohammad Rasoulof está impedido de deixar o Irão e não estará presente no Doclisboa'13
2013/10/04

Mohammad Rasoulof tinha sido convidado para presidir ao júri da Competição Internacional da 11ª edição do Doclisboa

O realizador iraniano regressou ao Irão há 10 dias e desde então tem o seu passaporte confiscado. As autoridades recusam-se a deixá-lo sair do país e não está autorizado a viajar até "nova ordem", nem a participar em festivais para apresentar o seu filme mais recente "Manuscripts don't Burn".

Nestas circunstâncias, a organização do Doclisboa decidiu deixar o lugar de Mohammad Rasoulof como Presidente do Júri vazio, como um acto de apoio e solidariedade com o cineasta iraniano.

O Doclisboa não considera aceitável que ele seja impedido de sair do país e irá contribuir, de todas as formas possíveis, para tornar claro que Rasoulof está a ser retido contra a sua vontade e impedido de exercer o seu trabalho como realizador e cineasta.

Rasoulof iria também participar na estreia alemã do seu filme no Festival de Hamburgo na terça-feira à noite, dia 1 de Outubro, e receber um prémio de carreira no dia 8 de Outubro no Nuremberg International Human Rights Film Festival, na Alemanha.

A sessão de encerramento da 11ª edição do Doclisboa irá exibir "Manuscripts don't Burn", a ter lugar no dia 2 de Novembro, sábado. O filme conta a história de um autor iraniano que consegue escrever em segredo as suas memórias como preso político.

Mais uma vez, o Doclisboa declara a sua solidariedade com Mohammad Rasoulof e espera que as autoridades iranianas respeitem os seus direitos civis e humanos, repudiando um regime que desrespeita a liberdade de expressão e de criação artística.
Queremos declarar que não vemos o trabalho de Mohammad Rasoulof como um panfleto de denúncia da opressão no Irão, mas sim como um retrato muito humano e sensível duma sociedade estruturada no medo e no secretismo.
O Doclisboa irá, sempre que possível, incluir no seu programa filmes feitos nesse contexto, filmes que são gestos éticos e estéticos importantes que nos dão esperança na resistência através do cinema e e da arte contra a censura e a violência.

 

Conferência de Imprensa Doclisboa'13
2013/10/03

O Doclisboa'13 tem o prazer de anunciar que a conferência de
imprensa da 11ª edição do festival realizar-se-á no dia 9 de
Outubro, quarta-feira, às 11h, na Culturgest - Fórum Debates.

A apresentação oficial do programa é aberta a todos os órgãos de comunicação social e público em geral. Durante a conferência será apresentada a programação, nomeadamente, as secções competitivas, secções paralelas, sessões especiais, elementos do júri, actividades paralelas e demais informações que fazem parte do festival.

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16
 
Pesquisar
Março
sab.dom.
1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31