Foco: transmissão, territórios imaginados

Através de linguagens e estratégias narrativas muito diferentes, estes filmes situam-se entre o domínio da herança e a imaginação de territorialidades específicas, topográficas ou virtuais, sonhadas ou perdidas. Da Taiwan dos anos 1960 a Sokolo, no Mali; de uma “Yodelburg” imaginária na Baviera de onde se lança a missão lunar filipina à França rural; do Canadá na nostalgia da loucura beatnik a uma ilha entre Argentina e Paraguai, passando pelo espaço do YouTube. Da geopolítica à ecologia, da memória colonial ao sonho de liberdade, reinvenções de lugares de pertença ou de espaços de abrigo.

Secções