Retratos da Dor: O Desejo Sem Lei

“Não há nada de mais inútil do que um órgão”, disse Artaud, apelando à libertação de todos os automatismos, para que seja finalmente possível “dançar do avesso”. Um desejo sem lei, sem psicologia, uma erótica potencialmente revolucionária. O filme de Teresa Villaverde atravessa e inspira as sessões. A sexualidade, o prazer, a maternidade, a conjugalidade, a amizade e a violência libertos dos simbolismos, recusando ser temas, existindo em pleno diante de nós.

RETRATOS DA DOR: O DESEJO SEM LEI

22 OUT / 19.30, Culturgest – Pequeno Aud.

Livestock abre numa feira de gado, onde os seus gestos e linguagens basculam entre o purgatório humano e a ordem infernal. Six Portraits of Pain, com extraordinária peça de Pinho Vargas, introduz o elemento de Cristo e o olhar amoroso, invocando os diversos planos do mundo. Hard as Opal pergunta pelo desejo e a maternidade num mundo por criar, caindo no silêncio dos elementos e resgatando a força telúrica e revolucionária de uma pergunta pelo amor.

RETRATOS DA DOR: O DESEJO SEM LEI 2

24 OUT / 21.45, Culturgest – Pequeno Aud.

À pergunta “Como viver junto?”, o fantasma Casper, ou o corpo sem órgãos de Artaud, diz: explore‑se nos interstícios dos corpos e dos hábitos uma promessa de infinito. Reinke recusa separar a vida e a imagem da vida. Dani e Sheilah ReStack atiram a dor para a vibração dos movimentos entre os seres e experimentam a parentalidade e a conjugalidade numa comunhão de desejo e imaginação. Entre eles, Artaud, fantasma inquieto, abre a sala de cinema aos abismos.

RETRATOS DA DOR: O DESEJO SEM LEI 3

25 OUT / 18.00, Cinema Ideal

Da solidão à graciosidade dos mais pequenos gestos e toques: esta sessão desenha-se entre dois espaços de reclusão, potenciando outros modos do encontro. Mauro Herce regressa ao navio, num comovente poema cantado de homens perdidos entre o que sentem e o que não podem dizer. No filme de Alexis Delgado Búrdalo, Renata encontra na câmara o interlocutor da sua urgência: revelar-se na sua gloriosa complexidade, ser amada.

Secções