O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram o Grande Prémio doclisboa / canal Odisseia (5.000 euros) para a melhor longa-metragem documental exibida na Competição Internacional ao filme:
a scuola de Leonardo di Costanzo
“Através de um microcosmo, uma escola nos arredores de Nápoles, o filme consegue abranger muitas das questões graves que se colocam, hoje, às sociedades que nos propomos construir. Um inquietante grito de alerta.”
 
Leonardo di Costanzo, vencedor do Grande Prémio doclisboa / canal Odisseia no seu discurso de agradecimento
   
O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram o Prémio Especial do Júri ao filme:
S21 – la machine de mort Khmer Rouge de Rithy Panh
“O Júri não quis deixar distinguir um dos filmes mais marcantes dos últimos anos, que se diferencia pela sensibilidade cinematográfica única e inovadora com que aborda o horror do genocídio.
Esperamos impacientemente a distribuição do filme em Portugal…”
 
Paulo Branco (Membro do Júri da Competição Internacional)
anunciando o prémio especial do Júri
     
O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram a Menção Especial do Júri ao filme:
justiça de Maria Ramos
“Pelo olhar sem compromissos ou demagogia sobre os destinos sociais no Brasil.”

O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram o
Prémio doclisboa / Jameson (3.000 euros) para a melhor curta metragem documental exibida na competição internacional ao filme:
in the dark de Sergey Dvortsevoy
“Um retrato extremamente humano, terno e implacável, da solidão e do isolamento numa sociedade que se desmorona.…”
 
Paulo Branco (Membro do Juri da Competição Internacional) anunciando o prémio para a melhor curta metragem documental) com Luciano Barisone (Membro do Júri da Competição Internacional) e Serge Tréfaut, Nuno Sena e Ana Isabel Strindberg (direcção do Festival doclisboa 2004)
     
O júri primeiras obras e prémio Tóbis constituído por Margarita Ledo Andión, Lisa Hagstrand, Cândida Pinto, Miguel Wandschneider e Carlos Pinsky atribuíram o Prémio doclisboa / Tóbis (3.500 euros) para o melhor documentário português exibido no doclisboa 2004 ao filme:
autografia de Miguel Gonçalves Mendes
“O filme premiado esteve longe de suscitar a unanimidade do júri.
Nenhum membro do júri considerou um filme inequivocamente superior a outros. Todos os membros do júri encontraram aspectos interessantes em vários filmes.
O filme que o júri premiou na competição portuguesa é “AUTOGRAFIA” de Miguel Gonçalves Mendes. Um filme de um jovem realizador que se confronta com uma figura marcante da cultura portuguesa que expõe a sua personalidade e aspectos da sua vida com um desassombro raro. O júri atribui a este prémio uma expectativa em relação a futuras obras.”
 
Miguel Gonçalves Mendes, vencedor do prémio doclisboa/Tóbis para o melhor documentário português pelo filme “autografia” , no seu discurso de agradecimento
     
O júri primeiras obras e prémio Tóbis constituído por Margarita Ledo Andión, Lisa Hagstrand, Cândida Pinto, Miguel Wandschneider e Carlos Pinsky atribuíram o Prémio doclisboa / Adobe (3.000 euros) para a melhor primeira obra documental exibido no doclisboa 2004 ao filme:
fruitful summer de Guo Jing e Ke Dingding
“(…) o júri considerou a universalidade do tema, o tratamento fílmico, sublinha o facto de ser uma primeira obra , e a forma como a personagem principal vai crescendo, levando o filme a desenvolver empatia com o espectador. Por tudo isto o júri atribui o prémio Primeira Obra ao filme “FRUITFUL SUMMER” de Guo Jing e Ke Dingding, da China.
O júri também destaca o filme “Checkpoint” que nos dá um testemunho impressionante da realidade israelo-palestiniana impossível de ignorar.”
 
Miguel Wandschneider membro do Júri primeiras obras e Prémio Tóbis anunciando o vencedor do prémio primeiras obras
     
O júri universidades constituído pelos alunos Maria Lalande da Universidade Lusófona, Miguel Lobo Antunes do IADE, Patricia Braz da Universidade Nova de Lisboa (FCSH), Paulo Fonseca da ETIC e Raquel Vitório da Restart atribuíram o prémio para o melhor documentário exibido na Competição Internacional ao filme:
in the dark de Sergey Dvortsevoy
“(…) o filme escolhido rompe o canon instituído pelo cinema documental contemporâneo. Efectivamente, são apresentados 40 minutos de composição poética visual. O filme existe dentro e fora do plano. A fotografia e o som são absolutamente orgânicos e remetem este objecto para o foro dos afectos. É uma narrativa que está no ‘entre’, que não se propõe a concluir – vai da extrema proximidade, para uma distância quase indiferente, sempre inquietantes, sempre impressivas. Foram criados, aqui, os espaços a preencher pela subjectividade de quem assiste e, necessariamente, participa.”

O júri escolas constituído pelos alunos Cláudia Barata, Luís Miguel Silva, Sara Ribeiro, Sofia Sousa e Zara Castelo da Escola Secundária D. Filipa de Lencastre atribuíram o prémio para melhor documentário português exibido no doclisboa 2004 ao filme:
no jardim do mundo de Maya Rosa
“(…) o que mais está de acordo com os nossos critérios de avaliação é o “Jardim do Mundo”, de Maya Rosa, pela força da mensagem que passou. Através da poesia e da verdade das personagens, captou-nos a atenção para uma realidade cada vez mais distante, pondo em confronto o passado e o presente, as memórias de um mundo tão particular que é o Alentejo.”
 


Luís Correia, produtor do filme “No Jardim do Mundo” vencedor do prémio atribuído pelo júri escolas


Os prémios doclisboa 2004

     
O júri federação portuguesa de cineclubes constituído por Artur Carvalho, Luís Pedro Blanch e Ricardo Medeiros atribuíram o prémio para o melhor documentário estrangeiro exibido na Competição Internacional ao filme:
no jardim do mundo de Maya Rosa

O júri federação portuguesa de cineclubes constituído por Artur Carvalho, Luís Pedro Blanch e Ricardo Medeiros atribuíram o prémio para o melhor documentário português exibido na Competição Internacional ao filme:
entre duas terras de Muriel Jaquerod e Eduardo Saraiva Pereira
 


O público na Sessão de encerramento

    fotos: Nuno Ricou Salgado © 2004




  doclisboa 2004
II International Documentary Film Festival

Culturgest. Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos. Rua Arco do Cego 1000-300 Lisboa
Phone + 351 21 886 08 00 | Fax +351 21 887 16 39 | Mobile +351 93 870 16 90 | E.mail
doclisboa@doclisboa.org | apordoc@sapo.pt