17-10-2016
Doclisboa destaca filmes da nova secção Da Terra à Lua

Doclisboa anuncia parceria com os Bombeiros Voluntários no Cinema de Urgência, relembra a presença de Jung Sung-Il e Pablo Capilé em Lisboa e destaca filmes da nova secção Da Terra à Lua.

O Doclisboa – Festival Internacional de Cinema relembra a nova secção, Da Terra à Lua. Como anunciado em conferência de imprensa, nesta secção não-competitiva serão exibidos os mais recentes filmes de realizadores consagrados do actual panorama do cinema documentário.

Serão apresentados filmes de realizadores que são presenças habituais no festival, como Austerlitz, de Sergei Loznitsa, ou Between Fences, de Avi Mograbi, passando por Werner Herzog ou Pere Portabella. Portabella apresenta-nos General Report on Certain Matters of Interest for a Public Screening e General Report II: The New Abduction of Europe, um díptico composto por dois filmes rodados com cerca de quarenta anos de diferença, em momentos críticos da economia e da política espanhola, da constituição da democracia à crise política e económica actual. Wang Bing volta ao Doclisboa com Ta’ang, um filme que acompanha o êxodo da minoria étnica birmanesa ta’ang na fuga à guerra na Birmânia junto à fornteira com a China. Wang Bing é também objecto de um filme de Jung Sung-Il, na secção Riscos. Em Night and Fog in Zona, Jung Sung-Il acompanha Wang Bing durante todo um inverno, enquanto este terminava a rodagem de dois documentários, Three Sisters (2012) e ‘Til Madness Do Us Part (2013), num hospital psiquiátrico. Após a sessão no Museu do Oriente haverá uma conversa com Jung Sung-Il sobre o trabalho de Wang Bing, às 15h00 no Auditório, com tradução para português.

Cinema Futures, de Michael Palm, fala do desaparecimento da película de celulóide na era digital. Martin Scorsese, Christopher Nolan, Tacita Dean, Apichatpong Weerasethakul, David Bordwell, Tom Gunning, Jacques Rancière, Nicole Brenez, Michael Friend e Greg Lukow depõem neste filme.

Among the Believers, de Hemal Trivedi e Mohammed Ali Naqvi aborda a questão do radicalismo islâmico, filmando a disseminação da escola islâmica radical Mesquita Vermelha, que treina legiões de crianças para devotarem a vida à jiade, no Paquistão. A German Life, um filme a quatro mãos (Christian Krönes, Florian Weigensamer, Roland Schrotthofer e Olaf S. Müller), traz-nos Brunhilde Pomsel, a secretária pessoal de Goebbels, o relato da sua vida pessoal e a sua reflexão sobre os caminhos da história. Rithy Panh estreia Exile em Portugal, um filme sobre o seu país, o Cambodja, e o seu passado sob o regime dos Khmers Vermelhos.

The Lives of Thérèse, de Sébastien Lishitz (presença no festival em 2012 com Les Invisibles) é um último olhar de Thérèse Clerc sobre as lutas que travou ao longo da vida: o direito ao aborto, a igualde de direitos entre homens e mulheres e os direitos dos homossexuais. Tom Fassaert, vencedor do Prémio Universidades do Doclisboa ’11 com An Angel in Doen) volta ao Doclisboa com A Family Affair, um filme muito comovente e divertido sobre a relação com a avó, uma femme fatale, modelo famosa nos 1950 e uma mãe que pôs os dois filhos no orfanato.

Destacam-se ainda duas estreias mundiais de Teresa Villaverde e Catarina Alves Costa, respectivamente com Paris 15/16 e Pedra e Cal.

A secção reveste-se de um carácter de urgência, com filmes que abordam e questionam temas permentes da actualidade. Michael Chanan estreia mundialmente Money Puzzles, um filme que examina a questão da natureza da dívida privada e pública, que presta informação sobre iniciativas anti-austeridade, almejando construir uma económica social alternativa. Abordando também a questão económica, destacamos Oncle Bernard – A Counter Lesson in Economics, de Richard Brouillette, um filme-entrevista com uma das vítimas do ataque ao Charlie Hebdo, Bernard Maris, ou “Oncle Bernard”, onde este desvela as suas ideias corajosas em tempos de austeridade, numa contra-lição de economia.

Na secção Cinema de Urgência, como habitualmente, serão exibidos filmes que documentam e testemunham situações e acontecimentos relativamente aos quais é urgente criar uma comunidade de debate e de reflexão.

A exploração de petróleo na costa portuguesa, com a exibição de Falemos de Furos – Portugal e o Petróleo, de João Camargo, e Disobedience, de Kelly Nyks. À sessão segue-se o debate com a presença de João Camargo, Sónia Balacó (Peniche Livre de Petróleo) e Ângela Rosa (Tavira em Transição).

O aumento da popularidade das extremas-direitas na Europa, no rescaldo das crises de refugiados, será abordado com a sessão No Pasarán, que se propõe a um levantamento dos fundamentos ideológicos e à busca de uma resistência activa e organizada.

Destaca-se a sessão #ForaTemer onde serão exibidos filmes de meios de comunicação alternativos, como a Mídia Ninja, a propósito da destituição de Dilma Rousseff, um golpe parlamentar vaiado por milhões de brasileiros e que levou a cortes na liberdade de expressão e a uma forte repressão governamental. Salienta-se que Pablo Capilé, da Mídia Ninja, estará em Lisboa para um debate a seguir à sessão, no dia 24 de Outubro, no Cinema São Jorge.

Este ano o Doclisboa associa-se aos Bombeiros Voluntários, no Cinema de Urgência. A entrada nas sessões será mediante um donativo aos bombeiros, que dará direito a um autocolante que permitirá levantar um bilhete para a sessão.

Imagem: Cinema Futures, de Michael Palm