ACTIVIDADES PARALELAS

PALMARÉS

Júris

O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram o Grande Prémio doclisboa / canal Odisseia (5.000 euros) para a melhor longa-metragem documental exibida na Competição Internacional ao filme:
a scuola de Leonardo di Costanzo
“Através de um microcosmo, uma escola nos arredores de Nápoles, o filme consegue abranger muitas das questões graves que se colocam, hoje, às sociedades que nos propomos construir. Um inquietante grito de alerta.”

O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram o Prémio Especial do Júri ao filme:
S21 – la machine de mort Khmer Rouge de Rithy Panh
“O Júri não quis deixar distinguir um dos filmes mais marcantes dos últimos anos, que se diferencia pela sensibilidade cinematográfica única e inovadora com que aborda o horror do genocídio.
Esperamos impacientemente a distribuição do filme em Portugal…”

O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram a Menção Especial do Júri ao filme:
justiça de Maria Ramos
“Pelo olhar sem compromissos ou demagogia sobre os destinos sociais no Brasil.”

O Júri da Competição Internacional constituído por Paulo Branco, Carmen Cobos, Luciano Barisone, Marie-Pierre Duhamel Müller e Margarida Cardoso atribuíram o Prémio doclisboa / Jameson (3.000 euros) para a melhor curta metragem documental exibida na competição internacional ao filme:
in the dark de Sergey Dvortsevoy
“Um retrato extremamente humano, terno e implacável, da solidão e do isolamento numa sociedade que se desmorona.…”

O júri primeiras obras e prémio Tóbis constituído por Margarita Ledo Andión, Lisa Hagstrand, Cândida Pinto, Miguel Wandschneider e Carlos Pinsky atribuíram o Prémio doclisboa / Tóbis (3.500 euros) para o melhor documentário português exibido no doclisboa 2004 ao filme:
autografia de Miguel Gonçalves Mendes
“O filme premiado esteve longe de suscitar a unanimidade do júri.
Nenhum membro do júri considerou um filme inequivocamente superior a outros. Todos os membros do júri encontraram aspectos interessantes em vários filmes.
O filme que o júri premiou na competição portuguesa é “AUTOGRAFIA” de Miguel Gonçalves Mendes. Um filme de um jovem realizador que se confronta com uma figura marcante da cultura portuguesa que expõe a sua personalidade e aspectos da sua vida com um desassombro raro. O júri atribui a este prémio uma expectativa em relação a futuras obras.”

O júri primeiras obras e prémio Tóbis constituído por Margarita Ledo Andión, Lisa Hagstrand, Cândida Pinto, Miguel Wandschneider e Carlos Pinsky atribuíram o Prémio doclisboa / Adobe (3.000 euros) para a melhor primeira obra documental exibido no doclisboa 2004 ao filme:
fruitful summer de Guo Jing e Ke Dingding
“(…) o júri considerou a universalidade do tema, o tratamento fílmico, sublinha o facto de ser uma primeira obra , e a forma como a personagem principal vai crescendo, levando o filme a desenvolver empatia com o espectador. Por tudo isto o júri atribui o prémio Primeira Obra ao filme “FRUITFUL SUMMER” de Guo Jing e Ke Dingding, da China.
O júri também destaca o filme “Checkpoint” que nos dá um testemunho impressionante da realidade israelo-palestiniana impossível de ignorar.”

O júri universidades constituído pelos alunos Maria Lalande da Universidade Lusófona, Miguel Lobo Antunes do IADE, Patricia Braz da Universidade Nova de Lisboa (FCSH), Paulo Fonseca da ETIC e Raquel Vitório da Restart atribuíram o prémio para o melhor documentário exibido na Competição Internacional ao filme:
in the dark de Sergey Dvortsevoy
“(…) o filme escolhido rompe o canon instituído pelo cinema documental contemporâneo. Efectivamente, são apresentados 40 minutos de composição poética visual. O filme existe dentro e fora do plano. A fotografia e o som são absolutamente orgânicos e remetem este objecto para o foro dos afectos. É uma narrativa que está no ‘entre’, que não se propõe a concluir – vai da extrema proximidade, para uma distância quase indiferente, sempre inquietantes, sempre impressivas. Foram criados, aqui, os espaços a preencher pela subjectividade de quem assiste e, necessariamente, participa.”

O júri escolas constituído pelos alunos Cláudia Barata, Luís Miguel Silva, Sara Ribeiro, Sofia Sousa e Zara Castelo da Escola Secundária D. Filipa de Lencastre atribuíram o prémio para melhor documentário português exibido no doclisboa 2004 ao filme:
no jardim do mundo de Maya Rosa
“(…) o que mais está de acordo com os nossos critérios de avaliação é o “Jardim do Mundo”, de Maya Rosa, pela força da mensagem que passou. Através da poesia e da verdade das personagens, captou-nos a atenção para uma realidade cada vez mais distante, pondo em confronto o passado e o presente, as memórias de um mundo tão particular que é o Alentejo.”

O júri federação portuguesa de cineclubes constituído por Artur Carvalho, Luís Pedro Blanch e Ricardo Medeiros atribuíram o prémio para o melhor documentário estrangeiro exibido na Competição Internacional ao filme:
no jardim do mundo de Maya Rosa

O júri federação portuguesa de cineclubes constituído por Artur Carvalho, Luís Pedro Blanch e Ricardo Medeiros atribuíram o prémio para o melhor documentário português exibido na Competição Internacional ao filme:
entre duas terras de Muriel Jaquerod e Eduardo Saraiva Pereira

  Leonardo di Costanzo, vencedor do Grande Prémio doclisboa / canal Odisseia no seu discurso de agradecimento
Leonardo di Costanzo, vencedor do Grande Prémio doclisboa / canal Odisseia no seu discurso de agradecimento

Paulo Branco (Membro do Júri da Competição Internacional) anunciando o prémio especial do Júri
Paulo Branco (Membro do Júri da Competição Internacional)
anunciando o prémio especial do Júri

Paulo Branco (Membro do Juri da Competição Internacional) anunciando o prémio para a melhor curta metragem documental) com Luciano Barisone (Membro do Júri da Competição Internacional) e Serge Tréfaut, Nuno Sena e Ana Isabel Strindberg (direcção do Festival doclisboa 2004)
Paulo Branco (Membro do Juri da Competição Internacional) anunciando o prémio para a melhor curta metragem documental) com Luciano Barisone (Membro do Júri da Competição Internacional) e Serge Tréfaut, Nuno Sena e Ana Isabel Strindberg (direcção do Festival doclisboa 2004)

Miguel Gonçalves Mendes, vencedor do prémio doclisboa/Tóbis para o melhor documentário português pelo filme “autografia” , no seu discurso de agradecimento
Miguel Gonçalves Mendes, vencedor do prémio doclisboa/Tóbis para o melhor documentário português pelo filme “autografia” , no seu discurso de agradecimento

Miguel Wandschneider membro do Júri primeiras obras e Prémio Tóbis anunciando o vencedor do prémio primeiras obras
Miguel Wandschneider membro do Júri primeiras obras e Prémio Tóbis anunciando o vencedor do prémio primeiras obras

Luís Correia, produtor do filme “No Jardim do Mundo” vencedor do prémio atribuído pelo júri escolas
Luís Correia, produtor do filme “No Jardim do Mundo” vencedor do prémio atribuído pelo júri escolas

Os prémios doclisboa 2004
Os prémios doclisboa 2004

O público na Sessão de encerramento
O público na Sessão de encerramento

fotos: Nuno Ricou Salgado © 2004

Organização: Apordoc
Rua dos Bacalhoeiros, 125, 4º. 1100-068 Lisboa. Portugal . Tel. & Fax: + 351 21 887 16 39
Email: doclisboa@doclisboa.org